Resenha| Dama da meia-noite – Cassandra Clare

Resenha| Dama da meia-noite – Cassandra Clare

 

capa 2

Cassandra Clare dispensa apresentações. Autora do universo dos Shadowhunters (que só cresce) já causou o caos na Bienal de São Paulo, já destruiu nossos corações em Princesa Mecânica e nos fez suspirar em Cidade do Fogo Celestial.

Agora com Dama da Meia-noite ela se consagra de uma vez por todas como uma grande escritora, foi o livro que eu mais gostei de seu universo (mesmo sem o Jace na maior parte).

A história se passa cinco anos após a Guerra Maligna acompanhando as consequências da Paz fria e os traumas deixados para trás, Emma ainda sofre com o assassinato de seus pais que foi mal investigado pela Clave e Julian lida com a responsabilidade de assumir o papel de adulto responsável por seus irmãos.

As fadas estão presentes nesse volume pela ligação de Mark com o seu lado feérico, desde que eu comecei a ler cidade dos ossos estava muito curiosa para saber mais sobre como a Cassandra iria explorar esse mito, já que é uma das minhas mitologias favoritas e ela não me decepcionou, pelo contrário em vários trechos da história são citadas referências ao folclore original dos feéricos o que torna a história, aos meus olhos, fantástica!

Vamos aos personagens principais:

Emma

Emma Cartairs

A protagonista não é nada parecida com Clary ou Tessa. Decidida, e muitas vezes comparada ao Jace por ser uma ótima shadowhunter, nos mostra que não é necessário ter um superpoder para ser o melhor a chave do sucesso é treino!

Julian

Julian Blackthorn

Em uma entrevista perguntaram a Cassandra se o Julian era mais parecido com o Jace ou com o Will e ela respondeu que ele estava mais para Jem, confesso que na época fiquei meio broxada porque não sou muito fã do Jem mas gente, que amor de menino. Apesar de não ser meu preferido da família, sua responsabilidade com a família, o amor com os irmãos me conquistaram.

DRUSILLA

Drusilla Blackthorn

Vários assuntos delicados são tratados ao longo do enredo e o fato da Dru ser um pouco mais ‘gordinha’ não passa despercebido. Como a maioria dos adolescentes ela não se encaixa muito bem aos outros e se considera um tanto perdida por ser a filha do meio da família.

Livia
Tiberius

Livia e Tiberius Blackthorn

Os gêmeos da família são um dos meus pontos fracos. O livro não deixa claro porém é notório que Tiberius tem um grau de autismo e durante toda narrativa pequenos detalhes te fazem admirar o quanto ele pode sentir além dos outros. Livia faz de tudo para estar sempre junto ao irmão e também é extremamente cativante.

 

 

Octavian

Octavian Blackthorn

O caçula em nada se parece com Max nos apresentado em Cidade dos Ossos, talvez por crescer em meio a crianças (ao contrário do Max que cresce junto aos seus irmãos bem mais velhos) tem todo o perfil de uma criança esperta, tendo um big papel na hora de desvendar o maior mistério da historia.

Mark

Mark Blackthorn

AGORA SIM! Meu preferido, e participante de não um, nem dois interesses românticos MAS TRÊS! Mark me fez sorrir, chorar e sentir meu coração ser despedaçado.

Outros personagens também são encantadores mas agora você vai ter que sair daqui e ir comprar esse livro já!

Quem publica? – Galera Record

Quanto custa? – De R$ 35,62 até R$ 39,42 em lojas virtuais.

 

Powered by WP Review

Comments

comments